quinta-feira, 9 de novembro de 2017

-2.25

Comprei um novo par de lentes hoje, e que fique claro, não é para te ver melhor, dessa vez é pra conseguir enxergar o tamanho do mundo, todas as oportunidades que deixei de ver porque meu foco era você. Agora quero ver o horizonte, e tudo que houver depois dele, é que lá de longe eu achava inatingível, pois bem, agora vou trazer pra perto tudo aquilo que eu quiser porque eu vou observar e saber o que posso ter comigo. De perto, já sei o que me dói, de longe, vou aprender, sem nenhum obstáculo me impedindo. Agora eu vejo, quando não te vejo mais.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Não leia hoje.

Eu acredito em mim quando digo que não sinto nada por você, até porque existem dias que realmente não sinto. Você tá lá, meio que por minha conta, aliás, nossa conta, quando a gente se quiser. Mas aí você aparece, perguntando 'cadê você?' e eu já estava cheia de saudades e vontades, aí me vem aquele frio na barriga, uma ansiedade incomum, mãos suando e inquietude, estou indo te ver. Nunca é ruim, nunca me decepciona, nunca teremos nada. Quando estou com você me desligo do mundo, como se aquele colchão fosse nossa bolha, você pode me dizer o que quiser, vai ficar ali, vai ficar entre nós dois. E então eu vou embora, satisfeita, pensando em você, no quanto o seu cheiro é bom, no quanto eu sei que você estava me esperando, porque a verdade é que eu gosto de estar aí tanto quanto você gosta de me ter aí. Essa é uma das poucas certezas que eu tenho sobre você. Sei que você tem poucas bermudas, sei que tem um gato, não consigo te imaginar com aquelas botas, ouvi Faded. E escrevendo cada detalhe desse eu sorri, porque fui lembrando dos seus olhos nos meus. E, droga, isso é sintoma de paixão.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

quase real.

Tenta vir hoje garota, me usa daquele jeito bem sem pudor e depois queira ficar um pouco mais. Me dá espaço pra sentir o seu cheiro, te deixo deitar no meu ombro, mas só hoje, porque tô precisando de você aqui. A gente é meio sem jeito assim, mas do nosso jeito, a gente se esbarra, a sintonia explica o que nem eu nem você dizemos. A meia luz me faz sussurrar no seu ouvido e te beijar sem perceber, como se não houvesse outra solução, senão te ter aqui. Ainda não descobri o que te traz de volta toda semana, você não me pergunta nada, só vem e vai, despede com um sorriso satisfeito e some de novo. E antes que acabe deixa eu dizer seu nome mais uma vez, e te mostrar o quanto eu quero você aqui porque a gente já sabe que as coisas vão complicar. Mas vem hoje. Eu me viro amanhã sem você, hoje não.