domingo, 4 de abril de 2010

and that's the end, like they say

Me chame do que quiser, mas das minhas dores, me deixe cuidar sozinha. Você nunca ajudou elas mesmo. Você, como todas as outras pessoas, juntou suas coisas sem que eu visse, e foi embora. E não vai voltar, não vai olhar pra trás. E não que eu me importe com o fato de você ter feito isso da sua maneira. Eu simplesmente me importo com o fato de não ter sobrado praticamente nada. Só falta agora. A sua, a falta de amor, de carinho, de baladas chatas com show de rock. Vai ficar faltando muita coisa. Mais uma vez, os meus lhos inchados e minha garganta áspera vão ficar aqui sozinhos. Não tendo muito a esperar senão alguma outra pessoa que vá ouvir os meus devaneios e rir disso. E então eu me sento de novo na frente do meu computador e revejo todas as cenas lindas que eu pensei pro futuro, e todas as patéticas que foram o passado. Passado patético é só por ver esse tempo dedicado sendo apedrejado com o famoso 'excesso' e ser culpado em júri popular por gostar demais. Eu, na verdade, só pedi para que não me deixasse. E nem isso eu pude pedir novamente, primeiro por já não achar que isso fosse algo que me faria bem, mas eu não sei o que é estar bem agora. Três quilos mais magra, olhos constantemente com olheiras e inchados, acredite, isso é possível. E a falta que tudo me faz, não só você, mas tudo o que eu perdi entre esse um ano e esse um mês. Nada que você, o seu espiritismo e a sua auto-ajuda podem ajudar. Nem os mistérios de Lost são tão complicados quanto as minhas dores psicológicas. E agora você me pede força e dedicação ao que eu tenho de melhor, o que eu tinha de melhor eram as minhas pessoas. E elas foram embora. Depois você consegue rir das minhas ideologias, mas minha prioridade é para a minha família que nunca vai sair do meu lado.
O medo que eu sempre tive a minha vida toda, agora mais do que nunca, me assombra o tempo inteiro. SOZINHA. E lá vou eu de novo, sozinha tentar levantar mais uma vez e conseguir de volta todos os meus sonhos e planos pra montá-los do lado de outra pessoa que não vai ficar por muito tempo. E eu estou desistindo de ficar nessa luta. Eu não quero mais isso. Eu não quero aventura. Eu quero chorar até não conseguir mais e depois quando a dor de cabeça passar, eu vejo o que eu decido, só que, até lá. Não tente me por mais pra baixo mostrando quão ruim eu posso ser pra você e para as outras pessoas.

6 comentários:

Olga Durães disse...

vai ficar tudo bem
(:

save tonigth disse...

nao vai ficar sozinha...
to aqui amiga...
o/

Menina disse...

Situação difícil. Mas você supera. É fênix.

Ficarei aqui na torcida por dias melhores!!


Beijitos!

Anônimo disse...

Bem depressivo!!!!! Não fique assim. Valorize-se que estamos juntos nesta!

Flor disse...

i think i know who posted here as anonimous... am i right?
;X

Anônimo disse...

é incrível ler isso e notar que eu estive assim há alguns meses atrás, mas relaxa, já dizia o grande Guimarães Rosa: "a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem ..."
Coragem que tempos melhores virão!
beijoo!