segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

nem longe

Acredito que não passava das 3 da tarde.
Fazia tanto calor, era verão, e o El niño estava brincando com as previsões do tempo.
O tempo era o de menos, porque passava Vale a Pena Ver Denovo e eu tinha meu inseparável copo de Coca e um pacote de bolachas, como disse, o tempo não me importava.
As coisas nunca foram muito normais comigo, não mesmo, e numa época onde o que importava era os cadernos de perguntas e as intrigas da turminha, eu preocupava-me com minha mente, meus sentimentos, minha saúde mental. E que não espalhem, por favor, essa tal saúde andava de mal a pior. Dediquei-me fielmente em algo que minhas colegas achavam um tédio, sombrio e até meio bobo. Meu primeiro blog.
Perdi as contas de quantas vezes eu entrava escondido na internet, pra falar com algumas pessoas no ICQ e publicar minhas revoltas no blog.
Meu refúgio, minhas revoltas, era meu, só meu, e eu compartilhava com poucas pessoas. Madrugadas perdidas em frente uma tela fria, noites quentes, e manhãs sonolentas. Foi dessa forma que conheci ele.
O que tenho pra falar dele? Quando penso que não tem nada, descubro que poderia ficar horas contando coisas... Ele.
Conhecemos via blog, de revoltas em revoltas, (minhas e dele) fomos nos conhecendo, e dentre mitos e histórias, conheci meu eu, e ele, bom, ele me conheceu. Usava-se aquela merda de conversa em celular de 3segundos! Mas era assim que conversávamos quando não dava pra entrar escondido na internet. Pode parecer coincidência demais, mas a avó dele morava do lado da minha avó que fica apenas do outro lado da minha casa. Ele brincou com meu irmão quando pequeno. Pois é, e cá estávamos nós, nesse mundo injusto, parecia que algo fazia sentido.
Foi assim, dessa forma, que conheci ele, as coisas que vieram depois foram importantes, mas é essa a memória que tento guardar. Hoje as coisas são muito diferentes, essa história toda foi a uns 6anos e até hoje não sei ao certo como aconteceu. Ele não vai ler, e se ler, não vai levar a sério... Eu não me importo mais.
Nostalgicamente escrito ontem a noite.
=|

4 comentários:

Anônimo disse...

eu li.... e mesmo q vc ache q não importa caba q de certa forma importa sim....

divina disse...

hahaha eu acho bom é esse anônimato.

David Nascimento disse...

Oi Sheila, seu post está tão... diferente do que você escreve. Períodos curtos, uma coisinha ali, outra lá. Bom, vai ver é paranóia minha.
beijo

David Nascimento disse...

Ah, mais uma coisa que esqueci de dizer o outro dia: Naquela foto você está parecendo atriz de novela das 8, não lembro qual, mas estou tentando lembrar [risos]
Boa volta a labuta dos teclados e letras e palavras e acentos e coisa e tal...