quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Essa tal de carência...

Se você disser que nunca se sentiu carente, saia daqui imediatamente!



O ser humano é uma máquina muito estranha, somos os únicos animais racionais e usamos essa racionalidade tão pouco, nos bastamos com o instinto sentimental. É tão inconsciente que nem nos damos conta de que isso nos move muito mais do que nossas reais vontades.

Nós somos bichinhos indefesos que só querem um pouco de colo, carinho e atenção. "Todo o prazer é o mesmo: ele só me afasta de problema". Nós buscamos incontrolavelmente a aceitação de alguém, a atenção, o carinho, o respeito. Mesmo a alma mais solitária, que vive pelo seu próprio umbigo está dentro dessas situações, seja pra agradar algum chefe, ou pra provar que pode ser melhor que o pai, e naquelas noites solitárias e vazias, essa alma estará procurando o telefone de uma pessoa de vida fácil, ou um antigo amor. Esse é o nosso interior. Não dá sequer pra fugir, não conseguimos ficar muitos dias sem conversar, seja papo de janela ou pra perguntar se o trabalho de sexta tá pronto. Somos carentes por natureza, gostamos de compania, pra rezar vamos todos pra uma igreja lotada ao invés de sentar na sua cama e pedir pro papai do céu, pra estudar sentamos em cadeiras duras pra ouvir as sábias palavras do professor, aquela festa chata que você já tá mais pra lá do que pra cá, você quer uma boca. Não adianta, quanto mais estamos sozinhos, maior é o desespero pra ter algum sentimento por alguém, mesmo que platónico, o que aliás, é algo saudável e altamente corrosivo porque é bom ter algo que se amar e esperar, mas corrói quando isso se torna maior que o destino. A parte triste dessa história toda é que toda essa tecnologia nos deixou pensar que somos auto-suficientes e que frias imagens de webcam nos fazem sorrir. Frios por fora mas queimando por dentro, somos nós: os seres humanos.

She Will Be Loved - Maroon 5
Agradar os ouvidos é preciso.

Um comentário:

Zíngara disse...

Usar a nossa racionalidade deveria ser sinônimo de usar O BOM SENSO... Mas hoje SER RACIONAL é se render a frieza e, quiçá, a falta de respeito.

Beijos